saltar menu

SAPO Família - Article

logo impressão
Antibióticos

Antibióticos

Os antibióticos não são o "remédio milagroso" que cura qualquer doença.

O uso de antibióticos está de tal forma generalizado que, muitas vezes, são os próprios pais que sugerem o seu uso ao pediatra. E, no entanto, os antibióticos não são o "remédio milagroso" que cura qualquer doença.

 Os antibióticos são medicamentos cuja finalidade é eliminar as bactérias que invadem o nosso corpo. Eles ajudam as defesas naturais a combater a infecção. No entanto, e ao contrário do que muitos pais pensam, os antibióticos não servem para tratar todas as infecções. Até porque a maioria das doenças na criança não são provocadas por bactérias, mas sim por vírus, e os antibióticos não têm qualquer acção contra eles.

Por esta razão, em muitos casos, mesmo quando a criança parece mais doente, o médico não prescreve antibióticos se estiver na presença de uma infecção viral. Cada antibiótico é diferente de todos os outros. E cada antibiótico é mais eficaz para combater algumas bactérias, e menos potente em relação a outras.

Para cada infecção, o médico, sabendo quais são as bactérias envolvidas, escolhe o antibiótico mais indicado. Esta escolha não tem nada a ver com o antibiótico ser dado uma, duas ou três vezes por dia, nem com o seu custo ou qualquer outro factor. É uma escolha que se baseia única e exclusivamente no antibiótico que será mais eficaz para combater as bactérias que estão, naquela criança e naquela altura, a provocar a infecção.

A maioria dos antibióticos mais utilizados em pediatria não apresenta efeitos indesejáveis com frequência. No entanto, algumas crianças podem ser alérgicas a alguns antibióticos. Isto é mais frequente com a penicilina ou os seus derivados do que com os outros antibióticos.

 As alergias manifestam-se habitualmente por manchas na pele, tipo urticária, e surgem algum tempo após se ter iniciado o antibiótico. Nestes casos, o antibiótico deve ser parado e a criança novamente vista pelo médico. Nas crianças alérgicas à penicilina existem outros antibióticos que podem ser utilizados sem risco de alergias. Noutros casos, o antibiótico pode provocar dores de barriga, vómitos ou diarreia, que em nada ajudam a que a criança se sinta melhor.

No entanto, um dos efeitos indesejáveis mais temido pelos médicos não tem a ver com alergias ou alterações intestinais e é provocado pelo uso frequente de antibióticos, como vamos ver em seguida. Mas, no nosso corpo, mesmo quando nos sentimos muito bem, existem muitas bactérias nas vias respiratórias (nariz, garganta) e nos intestinos.

Nestes locais, algumas bactérias estão sempre presentes e não provocam qualquer doença. Inclusive têm até um papel protector, pois tentam impedir que outras bactérias (as que provocam doenças) se consigam instalar nestes locais. O nosso organismo vive assim em equilíbrio, tendo no seu interior algumas bactérias «amigas».

Saiba mais na próxima página

Comentários

Artigos Relacionados

Participe nos grupos de discussãorede mãe